fbpx

5 erros que cometi no início da Advocacia Criminal

Quando iniciei minha carreira na Advocacia Criminal, cometi diversos erros que poderiam ter sido evitados se eu tivesse tido um treinamento prático no começo da minha atuação na área há quase 20 anos.

Por outro lado, é extremamente natural que advogados iniciantes na prática penal se sintam inseguros e acabam cometendo alguns erros no início da carreira. Por isso a importância de buscar um treinamento logo no início da sua atuação, que seja focado na prática, ensinando desde os aspectos mais introdutórios, aos aspectos mais complexos! Esse é o nosso objetivo no Curso de Prática na Advocacia Criminal do IDPB, proporcionar os conhecimentos teóricos e práticos e auxiliar os profissionais que desejam atuar nessa área com mais segurança.

Eu sou a Cris Dupret, advogada criminalista, atuante na área consultiva e Professora de Direito Penal há mais de 15 anos! E hoje, pretendo trazer a minha experiência e vivência nessa jornada da Advocacia Criminal, pontuando os 5 erros que cometi no início da minha carreira! Espero que eles possam acrescentar algo positivo para o seu desenvolvimento profissional!

Assista esse vídeo curto e continue a leitura logo depois, ok?

CLIQUE AQUI – O Curso de Prática na Advocacia Criminal te ensina desde os aspectos mais básicos como o atendimento ao cliente, até as atuações mais complexas como a sustentação oral. 
Comunidade Criminalistas de Elite – (CLIQUE AQUITenha acesso aos Cursos de Prática na Advocacia Criminal, Curso Completo de Direito Penal, Curso de Leis Penais Especiais, Curso de Marketing Jurídico, Prática na Jurisprudência Criminal, além de acessar todas as aulas ao vivo, podcasts e integrar um grupo de whatsapp com interação entre advogados de todo o Brasil.

Muitos alunos já saem da faculdade apaixonados pelo Direito Penal e Processo Penal, mas não sabem como dar o primeiro passo para iniciar a sua atuação nessa área!  Buscar uma especialização na Advocacia Criminal é o primeiro passo que recomendo, porque eu sei o que passei no começo da minha carreira sem esse treinamento!

Foi pensando na minha experiência pessoal e na insegurança dos meus alunos e alunas de Segunda fase da OAB, que desejavam atuar na área, mas não sabiam como iniciar, que desenvolvi o Curso de Prática na Advocacia Criminal do IDPB, 100% on-line, composto por 15 módulos, mais de 160 aulas, mais de 60 horas de aula, banco com modelos de peças processuais e roteiros para elaboração, modelos de contrato, de procuração, material de apoio em pdf, grupo de whatsapp exclusivo, ambiente de dúvidas diretamente comigo e muito mais.

Com esse norte, fica muito menos desafiador iniciar a sua carreira na Advocacia Criminal. Contudo, na ânsia de alcançar o sucesso profissional, muitos iniciantes acabam cometendo erros que poderiam ser evitados, como aconteceu comigo.

Hoje, eu quero compartilhar alguns dos erros que eu cometi na minha carreira, principalmente, no começo dela e que podem te ajudar a começar a sua vida profissionais com menos desafios. Vou ser super direta ao ponto, vamos lá?

Adiantar ao cliente todos os passos que serão tomados em seu caso

Veja bem. Não estou dizendo que você não deve falar para o seu cliente o que deve ser feito no caso dele. Mas, no primeiro atendimento ao cliente, você não precisa e nem deve detalhar todas as suas ações no caso concreto. Até porque, o contrato ainda não foi assinado.

Infelizmente, muitos clientes procuram honorários baixos e não profissional de qualidade e especializado. Isso é uma realidade na advocacia. Então, guarde todo o seu plano de ação para informar ao cliente depois da sua contratação.

Não fazer contrato de honorários

Com tantas formas de se relacionar com clientes, hoje boa parte de nossa rotina se resolve por mensagens instantâneas de celular. Fechar contratos e honorários não é muito diferente. Não há nada de errado nisso, se você formalizar o acordo verbal em um contrato.

Quando se assume um processo-crime, é necessário que se faça um contrato de honorários bem-feito, com muita clareza, não deixando margem para dúvidas futuras.

De fato, a solenidade não é obrigatória, e a inexistência dela não complica o pagamento. Mas, ao abrir mão dessa segurança, os riscos surgem. Um deles é a inadimplência! E depois, fica muito mais desafiador realizar a cobrança sem um contrato para executar.

No Curso de Prática Penal, você aprende que o contrato é indispensável! Nele, você tem modelos de contratos, além de modelos de peças processuais, roteiros de elaboração e procurações. Isso pode ajudar muito o advogado!

Não definir os pormenores da sua atuação em contrato

Por falar em contrato, outro erro muito comum é achar que certos aspectos da sua atuação não precisam estar bem definidos nele. Você deve especificar TODOS os serviços a serem prestados, para que tudo isso fique bastante claro para o seu cliente e registrado.

Inclusive, você pode colocar em contrato as informações sobre os atendimentos ao cliente durante a sua atuação naquele processo, como por exemplo: o atendimento será pelo whatsapp? Qual horário? Quantas vezes por mês? Em quanto tempo você responderá um questionamento? Afinal, o combinado não sai caro!

No nosso Curso de Prática Criminal, nós disponibilizamos um modelo pronto e editável de contrato de honorários para cada uma das situações que você pode atuar. Com os modelos já prontos, é possível otimizar o tempo e entregar o contrato de imediato, deixando de correr o risco de atuar primeiro para contratar depois. Atenção: você jamais deve fazer isso!

Pensar que apenas o estudo do Direito Penal e Processo Penal bastam

Um erro muito comum dos advogados iniciantes é pensar que eles podem se apoiar única e exclusivamente no estudo da matéria, quando na verdade, o mais importante é se qualificar de forma prática! Não saber aliar a teoria à prática torna a atuação muito mais desafiadora! Por isso, um treinamento prático é essencial para você começar a sua carreira com o pé direito!

Além da qualificação prática, fazer parcerias com escritórios sérios de Advocacia Criminal de outras cidades é uma ótima estratégia para o início. Busque na internet os contatos e mande e-mail com uma proposta de parceria e depois avalie se vale a pena.

Outro fator que é fundamental, é fazer networking! Nada melhor do que ampliar a sua rede de contatos nesse começo de carreira, frequentando eventos da área criminal, participando de comissões da OAB, ou de grupos de whatsapp de criminalistas. No nosso Curso de Prática Criminal nós temos um grupo exclusivo dos alunos e alunas espalhados por todo o país, com os mesmo interesses, dispostos a trocar informações, conhecimentos e ajudar aqueles que estão galgando um espaço no mercado. Posso dizer que esse grupo é muito produtivo!

Desanimar frente aos primeiros obstáculos

Esse é um erro que a maioria dos profissionais na Advocacia Criminal comete. Na maioria das vezes, quando enfrentam desafios, se desesperam e pensam em desistir.

Você já ouvir falar em antifragilidade? Nicholas Taleb, professor do Instituto Politécnico de Nova York, escreve sobre o tema.

Trata-se de uma postura voltada a beneficiar-se do caos. A princípio, parece estranha essa afirmação, assim como o próprio nome da obra escrita por Taleb. Em uma breve síntese, ser antifrágil é mais que ser resiliente.

O advogado resiliente simplesmente aceita as dificuldades. A resiliência é uma postura mais passiva, enquanto a antifragilidade possibilita novas perspectivas e atitudes diante de adversidades.

A antifragilidade demonstra uma característica pela qual as adversidades não são superadas pela reação, mas sim pelo entendimento do contexto das adversidades e um constante aprendizado, procurando entender o que se passou, aprendendo com os erros e evoluindo continuamente, de forma a se colocar em uma posição proativa e consciente.

O advogado antifrágil, por exemplo, visualiza no período da pandemia, uma nova perspectiva de atuação, diante de problemas como a necessidade de reavaliação de situações prisionais, adotando a postura ativa de agir nesses casos, tendo a possibilidade de atendimento de mais clientes.

Pense nisso! Seja antifrágil!

Em suma, esses são alguns erros que podem ser evitados no início da carreira na Advocacia Criminal. Claro que existem muitos outros que podemos abordar em outras oportunidades como: ter excesso de despesas, não construir sua marca etc. Mas, hoje trouxe os 5 erros que são mais comuns pela minha experiência de 15 anos nesse mercado.

Sempre digo que, quem desiste no meio do caminho, nunca chega a lugar algum. Para se ter sucesso profissional é preciso dedicação, foco, estudo, estratégias, enfim, é um conjunto de fatores que, na maioria das vezes, para funcionar, só depende de você!

Se curtiu esse conteúdo, comente abaixo e dê sugestões de temas que gostariam de ver nos próximos.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

AULAS E MODELOS

Da contratação e captação de clientes

à sustentação oral

CONHEÇA O CURSO

PRÁTICA NA ADVOCACIA CRIMINAL

ASSINE NOSSA NEWSLETTER!

&

Receba Atualização Diária