fbpx

Como aprender a prática na advocacia criminal? 

Acho que esse é o principal receio de quem se forma e quer começar atuar na advocacia criminal, afinal de contas tem muita teoria na faculdade, na preparação para OAB, mas pouca prática de verdade, não é mesmo?

Por esse motivo, anos atrás, eu, Cris Dupret, idealizei e desenvolvi o Curso de Prática na Advocacia Criminal do IDPB, com o intuito de auxiliar advogados iniciantes a dar os primeiros passos nessa empreitada super promissora.

O foco de hoje é pontuar o quanto é importante para o aprendizado da prática na Advocacia Criminal, você saber aliar teoria à prática penal para conseguir alcançar os resultados pretendidos em cada situação.

Continue a leitura após o vídeo:

CURSO DE PRÁTICA NA ADVOCACIA CRIMINAL (CLIQUE AQUI) – Aulas em Vídeo, Grupo de whatsapp com Advogados de todo o Brasil, Banco de peças editáveis, Certificado de Conclusão e Amplo material de apoio.

Aliando teoria à prática penal

Devo lembrar que, tanto para os candidatos à prova de Segunda Fase da OAB, quanto para os advogados criminalistas iniciantes, saber aliar teoria à prática penal é extremamente importante para se alcançar os resultados pretendidos em cada situação, resolvendo as questões da prova ou advogando na vida real.

Então, é essencial que você preze, primordialmente, pela sua qualificação!  Nesse sentido, você deve estar sempre se atualizando, se especializando naquele nicho que escolheu atuar na advocacia criminal, e não somente no início da carreira, é claro.

Justamente por isso, no Curso de Prática na Advocacia Criminal, tenho o cuidado de abordar desde as primeiras preocupações que um advogado criminalista iniciante deve possuir como, por exemplo, como fazer contato com o cliente, escolher o nicho mais promissor de atuação, precificar seus honorários até como se portar em uma audiência criminal.

E hoje, resolvi trazer 3 dicas rápidas, mas muito importantes e algumas orientações de como aliar a teoria à prática penal.

Dicas de como estudar teoria e prática em conjunto

Essas dicas são direcionadas tanto para quem está no caminho da aprovação na OAB, quanto para quem está advogando na área criminal.

Dica 1

Você deve estudar da maneira correta, de preferência com o auxílio de Cursos Práticos que te mostrem o “caminho das pedras”, e como aliar teoria à prática, sem margem para dúvidas e com todo o apoio que você precisa.

Por isso, no curso de Prática na Advocacia Criminal, tenho esse cuidado de abordar os temas de forma a conjugar Direito Penal com Direito Processual Penal, fazendo com que você se sinta seguro nos casos práticos e saiba, perfeitamente, como agir em cada um.

Além de disponibilizar modelos de peças processuais e roteiros para elaboração, modelos de contrato, de procuração, nossos cursos objetivam passar toda a experiência na Prática da Advocacia Criminal, possibilitando a atualização de profissionais da área e preparando milhares de alunos, da melhor maneira possível, para a Segunda Fase da OAB em Direito Penal.

Dica 2

Uma segunda dica interessante é a leitura e estudo de livros e casos práticos. E você pode estar se perguntando como fazer isso.

A resposta é simples: quanto a livros, o ideal sempre será aquele que faça a conjugação da teoria e da prática, do Direito Penal e do Direito Processual Penal, que, de preferência, contenha modelos e roteiros de cada peça prática penal, e que aborde todos os detalhes e teses de direito material e processual, explicando como empregar cada uma delas nos casos específicos.

Para o estudo de casos práticos, é fundamental acompanhar a jurisprudência dos Tribunais, especialmente o Tribunal da sua região, assim como os superiores: STJ e STF. Cadastre-se para receber os informativos e notícias. Leia o inteiro teor, entende como funciona a prática.

Estar por dentro da Jurisprudência dos Tribunais Superiores é um fator essencial para advogados e estudantes.

Hoje em dia não é mais possível um conhecimento meramente estático do Direito Penal.

Se você ainda não se familiarizou com as ferramentas de busca de jurisprudência dos nossos Tribunais Superiores, segue abaixo algumas breves orientações.

O Superior Tribunal de Justiça, por exemplo, possui uma relevante ferramenta de estudos que permite um aprendizado rápido, porém amplo, em torno da jurisprudência do STJ, a chamada Jurisprudência em teses.

Essa ferramenta é disponibilizada periodicamente e concentra os principais entendimentos jurisprudenciais do STJ acerca de temas importantes.

O bacana é que eles resumem as ementas dos julgamentos em pequenas “teses”, o que facilita muito o estudo e o aprendizado acerca de importantes aspectos sobre aquele tema específico.

E abaixo de cada tese, ainda são trazidos os precedentes que inspiraram cada uma, o que permite eventual aprofundamento.

O Supremo Tribunal Federal também disponibiliza informativos de jurisprudência periodicamente, facilitando a pesquisa sobre os principais julgados.

Enfim, a quem diga que as jurisprudências são verdadeiras fontes mediatas de produção do Direito consistente na orientação dada pelos Tribunais à solução de casos concretos, em importantíssima atividade interpretativa.

Estudar pela jurisprudência é uma ótima forma de estudar a teoria aliada à prática, além de estar sempre atualizado!

Lembre-se ainda que um criminalista sempre deve ter um Vade Mecum atualizado para a sua prática penal, um vade-mécum penal. Se você já é aluno do Curso de Prática, lá tenho uma aula sobre indicação bibliográfica. Tenho certeza que será muito útil!

Dica 3

Não menos importante, essa terceira dica também pode transformar a sua prática criminal e alavancar os seus estudos.

Esteja sempre em contato com outros advogados e estudantes da mesma área. Faça parte de simpósios, congressos, eventos em geral, grupos e esteja sempre atento à experiência alheia. O caso do colega amanhã pode ser exatamente o mesmo que o seu.

No nosso Curso de Prática na Advocacia Criminal, há um grupo de whatsapp com interação. É incrível acompanhar o avanço, a troca de experiência e as oportunidades que aparecem por lá.

Bom, espero ter te ajudado a compreender a importância de aliar a teoria à prática, além de ter dado algumas dicas de como fazer isso da melhor forma possível.

Se curtiu esse conteúdo, comente abaixo e dê sugestões de temas que gostaria de ver nos próximos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

AULAS E MODELOS

Da contratação e captação de clientes

à sustentação oral

CONHEÇA O CURSO

PRÁTICA NA ADVOCACIA CRIMINAL

ASSINE NOSSA NEWSLETTER!

&

Receba Atualização Diária