fbpx
congresso

Em votação apertada, a comissão especial da Câmara que estuda a legalização de cultivo para uso medicinal da cannabis aprovou o texto. 

Continue a leitura mais abaixo.

Curso de Prática na Advocacia Criminal (CLIQUE AQUI) – Desde a contratação até a Sustentação Oral, com aulas em vídeo, dúvidas diretamente com Cristiane Dupret e Banco de Peças Editáveis.
Teses Defensivas na Prática Penal (CLIQUE AQUI)
ATENÇÃO: Clique Aqui, associe-se ao IDPB, tenha acesso imediato a 4 cursos completos e entre em um grupo do whatsapp com interação entre advogados de todo o Brasil.
Seja atendido pelo whatsapp CLICANDO AQUI
Siga o Perfil da nossa Presidente no Instagram para acompanhar as novidades CLICANDO AQUI

Votação do PL 399/15

Prevaleceu o voto do relator para desempatar a votação do texto-base do projeto de lei (PL 399/15) que legaliza o cultivo da cannabis sativa para fins medicinais, veterinários, científicos e industriais. A votação principal da comissão especial da Câmara que analisa o texto terminou com 17 votos favoráveis e 17 contrários (em 8/6), e nesses casos o texto é considerado aprovado.

Tema polêmico

O tema é polêmico porque a mesma planta que serve para a produção do medicamento Canabidiol, indicado para vários tratamentos de saúde, também produz a maconha. O relator, deputado Luciano Ducci (PSB-PR), garantiu que a proposta não trata de liberação geral da cannabis.

Luciano Ducci: A gente tem que mostrar de forma muito clara que é um projeto seguro, realista e não trata do uso recreativo.

Pontos importantes

O relatório de Ducci permite o cultivo de cannabis apenas por pessoas jurídicas, como empresas, associações de pacientes e organizações não governamentais.

É necessária autorização da Anvisa para uso medicinal e, nesse caso, a comercialização deverá ocorrer em embalagens invioláveis e com prescrição médica.

Farmácias fitoterápicas do SUS e farmácias de manipulação também poderão produzir os medicamentos.

Os usos veterinário e industrial dependem de autorização do Ministério da Agricultura.

O plantio individual continua proibido pela Lei Antidrogas.

Produção de cânhamo industrial

O projeto aprovado ainda autoriza a produção e comercialização do cânhamo industrial, que é extraído a partir de sementes, fibras e caule da cannabis. A partir do cânhamo, é possível a produção de cosméticos e produtos de higiene pessoal.

A aplicação medicinal da cannabis já está presente hoje em cerca de 50 países.

Fonte: Rádio Câmara dos Deputados

Se curtiu, comente abaixo e dê sugestões de temas que gostariam de ver nos próximos conteúdos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

INSCRIÇÃO GRATUITA

 

DE 28 DE SETEMBRO A 03 DE OUTUBRO

JORNADA COMEÇANDO DO ZERO

NA EXECUÇÃO PENAL